sábado, 25 de fevereiro de 2012

Clube Atlético Ferroviário - Campeão do Centenário - 1953

Na década de 50, os campeonatos disputados em datas históricas eram comemorados de uma maneira especial, como o ano de 1953 seria comemorado o centenário da emancipação politica do Paraná, o Campeão do Campeonato Paranaense ficaria com o título de "Campeão do Centenário".
Nessa temporada a C.B.D determinou que todos os campos de futebol seriam obrigados a ter alambrados, para que se evitassem as invasões de assistentes e diretores. O Clube Atlético Ferroviário cumpriu de imediato a exigência.
Para comandar a equipe do Ferroviário foi contratado o técnico João Lima e alguns jogadores campeões de 50 estavam na equipe como o zagueiro Tocafundo, Casnock, Afinho e o artilheiro Isualdo, e para o gol foi contratado o goleiro Robertinho, junto a equipe do Fluminense.
A estréia no campeonato aconteceu no dia 23 de abril na Vila Capanema conta a equipe do Água Verde, uma equipe muito forte, e contava com jogadores como o goleiro William, o meia Barbozinha e os atacantes Valdomiro e Belmonte, e que no início da temporada havia conquistado o Torneio Início. No final uma boa vitória do time do Ferroviário por 3 a 1.
A segunda partida aconteceu na cidade de Telêmaco Borba, diante do CAMA, e os jogadores Nivaldo, Aurélio, Ocimar e Taíco, comandavam a equipe do CAMA. Foi uma partida muito disputada e apesar de toda a pressão da equipe do CAMA, o Ferroviário conquistava mais uma importante vitória, mostrando que iria lutar pelo título.
A primeira derrota no campeonato aconteceu no dia 17 de maio, diante da equipe da Cambaraense.
No dia 23 de maio, o Ferroviário queria mostrar que a derrota na rodada anterior não tinha abalado a equipe e conseguiu uma importânte vitôria diante da equipe do Britânia: 5 a 1.
O primeiro clássico Cori-Caf, aconteceu no dia 23 de junho no Estádio Durival de Britto e Silva. Na partida de aspirantes o Ferroviário ganhou por 4 a 1 e a torcida queria que esse placar se repetisse na partida principal.
A partida foi dirigida pelo juiz inglês Mr Richard Leslie Eason e aos 16 minutos do primeiro tempo Casnck fazia do gol da vitória da equipe da Vila Capanema.
O clássico Cap-Caf foi disputado no dia 18 de julho, no Estádio Joaquim Américo e terminou empatado em 1 a 1.
O maior goleada do Ferroviário no campeoanto aconteceu no dia 18 de julho e o ataque formado por China, Maurílio, Juarez, Casnock e Afinho não perdou: Ferroviário 7x0 Bloco Morguenau.

No segundo turno a equipe do Ferroviário manteve a sua ótima campanha passando pelos seu adversários.
No clássico Cori-Caf, disputado no dia 4 de outubro a equipe Tricolor, mostrou que queria o título do centenário e aplicou uma goleada hisória no tradicional rival. Afinho aos 22 minutos e Juarez aos 39 minutos do primeiro tempo; Afinho aos 6 minutos, Juarez aos 9 minutos, Afinho aos 14 minutos e aos 20 minutos do segundo tempo fizeram os gols da goleada.

Antes da partida decisiva, o presidente Aramando Prince, junto com o diretor Atílio Ramon, decidiram que seria melhor tirar a equipe da cidade, pois a torcida Boca estava empolgada. Assim a equipe foi para a chácara de um conselheiro localizada no km-40, da estrada para Joinville.
O dia 28 de novembro, a cidade de Curitiba amanhecia com uma leve garoa, mas mesmo assim a torcida colorada lotava as arquibancadas do Estádio Durival de Britto.
No começo da partida, um susto para o torcida boca-negra, quando Baltazar fazia aos 7 minutos o primeiro gol da Cambaraense. Após tomar esse gol a equipe do Ferroviário foi para o ataque onde Maurilio, Isualdo, Juarez, Afinho e China, atormentava goleiro Bino que fazia ótimas defesas.
O ataque da Cambaraense comandado por César Frizzo e Baltazar levava certo perigo a defesa colorada.
Aos 45 minutos, após um cruzamento de Maurílio, Isualdo de cabeça empata a partida, alegria nas arquibancadas da Vila.
Aos sete minutos do segundo tempo, o Ferroviário tem um escanteio pela ponta esquerda, e o ponta Maurílio cobra para a área, mas o zagueiro Augusto da Cambaranese tira e a bola sobra para o zagueiro Alceu Zauer, que toca na ponta esquerda para o Maurílio, que recebe a marcação do zagueiro Deolindo, que recupera a bola e toca para Botina, que não conseguiu dominar e perde a bola para o zagueiro Marcelino do Ferroviário, que de primeira toca para Juarez que cruza para a área e Isualdo de meia bicicleta faz o gol da vitória e do título do Ferroviário. Explosão dos fogos e alegria na Vila, "Ferroviário Campeão do Centenário, 1953".
Pela vitória frente a equipe da Cambaraense, cada jogador recebeu uma gratificação de Cr$ 1.000,00 (hum mil cruzeiros velhos).
A equipe do Ferroviário arrecadou em todo campeonato a quantia de Cr$ 748.855,00, fazendo um total de 48% do total arrecadao em todo o campeonato , que foi de Cr$ 1.500.000,00.

28 de novembro de 1953 / Sábado
Ferroviário 2x1 Cambaraense
Local: Estádio Durival de Brito e Silva
Juiz: Victor Marcassa, auxiliado por Mr Richard Eason e Barbosa Lima Neto
Renda: Cr$ 197.885,00 (renda recorde do campeonato)
Público: 11.300pagantes
Gols: Baltazar aos 7 minutos e Isualdo aos 45 minutos do 1° tempo; Isualdo aos 6 minutos do 2° tempo.
Ferroviário: Robertinho, Tico e Marcelino; Lalo, Tocafunfundo e Alceu Zauer; Maurilio, Isualdo, Juarez, Afinho e China. Técnico: João Lima.
Cambaraense: Bino; Carlito e Belacosta; Deolindo, Botina e Augusto; Pedrinho, Rubens ,César Frizzio, Baltazar e Alceu. Técnico: Rui Santos (Motorzinho).


Artilheiros:
Afinho: 15 gols
Juarez: 12 gols
Isualdo: 10
China: 5
Casnok:3
Negro e Maurílio: 2
Eliséo, Zé Carlos e Alceu Zauer: 1
02 gols contra foram anotados para os colorados.

Equipe base: Robertinho, (Ferraz), (Mauro e Adir-gol), Tico, Marcelino; Lalo, Tocafundo e Alceu; China, Isauldo, Juarez, Afinho e Maurilio (Casnosk), (Elizeu), (Zé Carlos), (Arnaldo), (Nelsinho), (Negro), (Bertolli).

Diretoria:
Presidente: Armando Prince;
Diretor do Departamento de futebol: Atílio Ramon;
Técnico: João Lima;
Médico: Dr. Mohty Domit;
Massagista: Clodoaldo Nielsen.



Fonte: Arquivo Pessoal.
Futebol Paraná História: Heriberto Ivan Machado e Levi Mulfort Chrestenzen.
Revista Esporte Paranaense - Ano 1 - n° 4 - Agosto 1968.
Vôo Certo, Carneiro Neto.


Qualquer cópia feita deste blog deverá conservar todas as informações sobre os direitos autorais, bem como acompanhado pela referência de sua respectiva fonte, citando o endereço eletrônico da página

2 comentários:

  1. tenho esta camisa, a número 7, do grande ponta direita China, meu avô!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Murilo, você tem fotos do China no Ferroviário?
      Obrigado,

      Excluir